O que é e como fazer um plano de recuperação de desastres?

Sabe em que consiste um plano de recuperação de desastres? Este é um procedimento fundamental para qualquer empresa.

Todas as organizações, independentemente do seu segmento e porte, estão suscetíveis a imprevistos, sejam naturais ou ocasionados por erro humano.

Portanto, para controlar e reduzir o impacto destes imprevistos nas operações é preciso ter este plano bem elaborado.

Mais à frente explicamos melhor como funciona e o que deve considerar para criar o plano da sua empresa.

Recuperação de desastres: Como funciona e o que considerar para a criação de uma estratégia eficiente

A tecnologia está cada vez mais presente no dia-a-dia das empresas. Mas, mesmo a tecnologia sendo fundamental para otimizar a produção e possibilitar melhorias nas operações, não é infalível.

Problemas podem acontecer, seja devido a uma falha técnica, um desastre natural ou até mesmo erro humano.

Nestas situações, é preciso ter um plano de contingência, para reduzir ao máximo os prejuízos.

Assim, os principais objetivos da criação e implementação de um plano de recuperação de desastres são:

  • Contribuir para que as operações sejam restauradas rapidamente;
  • Proporcionar sistemas de backup confiáveis;
  • Garantir um nível de segurança à empresa;
  • Reduzir os riscos de atrasos e interrupção das atividades da empresa em caso de imprevistos.

Ao conhecer estas informações, vamos agora aos fatores que deve considerar durante a elaboração deste plano.

1 – Desenvolver estratégias de continuidade das operações

Esta é a primeira medida a ser adotada e uma das mais importantes, pois é o que vai possibilitar a continuidade da operação frente a um desastre.

Mesmo que não seja possível continuar com o funcionamento integral da empresa, os setores mais críticos devem ser capazes de manter as operações.

As estratégias devem ser partilhadas e treinadas entre todos os colaboradores, para que saibam como agir quando um imprevisto ocorrer.

2 – Analisar o impacto e avaliação de risco

Nesta etapa, é preciso avaliar quais serão os impactos de um eventual desastre nos diferentes setores da empresa.

Dessa forma, é importante saber quais estratégias de recuperação devem ser priorizadas diante de um desastre e quais processos podem ficar para segundo plano.

Isto só é possível se for criado um plano de recuperação de desastres bem estruturado e que tenha em consideração toda a empresa.

3 – Desenvolver metas

Algumas metas devem ser definidas na elaboração deste tipo de plano.

A primeira deve estar relacionada à quantidade de dados que é aceitável perder diante de um imprevisto.

Paralelamente, é preciso determinar o tempo necessário para que as operações voltem à normalidade após a identificação de um desastre.

Ter estas metas bem definidas ajuda a identificar quais recuperações são priorizadas e em quanto tempo podem ser executadas.

4 – Estratégias de recuperação

Através do levantamento de informações nas etapas anteriores, é possível iniciar o preparo da recuperação de desastres.

Aqui, deve-se fazer um planeamento que considere as características e recursos da empresa em questão.

5 – Conscientização

Finalizado o plano de recuperação, é o momento de partilhar as estratégias com todos os envolvidos, garantindo que estejam preparados.

As ações devem ser revistas e testadas regularmente, para que possam ser executadas com eficácia numa ocorrência.

6 – Manutenção e melhoria dos planos

Por fim, as estratégias devem ser atualizadas periodicamente, de acordo com a evolução das operações da empresa.

Afinal, os negócios passam por transformações constantemente e o plano deve refletir essas mudanças.

Não deixe a sorte ser a responsável pelo bom andamento das operações da sua empresa. Definir um plano de recuperação de desastres é a melhor solução.

WebSite com CRM Gratuito!!

Solicite o seu contacto, sem compromisso.