Servidor físico vs. Servidor virtual: Conheça as principais diferenças

Ter um servidor físico ou um servidor virtual nas empresas certamente é uma grande mais-valia.

Afinal, permitem a gestão eficiente de custos, segurança e privacidade dos dados, e, principalmente, a continuidade dos negócios.

Ambos os sistemas devem garantir que o armazenamento e o processamento dos dados são satisfatórios e que se adaptam às necessidades das empresas.

Para fazer a melhor escolha para o seu negócio, deve conhecer as diferenças entre estes tipos de servidores.

Servidor virtual e servidor físico: Conheça as principais características de cada um

Conhecer as diferenças e características dos servidores físicos e virtuais é o primeiro passo para escolher o que mais atende às necessidades da sua empresa.

Por isso, explicamos de seguida tudo o que precisa saber para optar pelo sistema mais adequado para o seu negócio.

Servidor físico

O servidor físico consiste, basicamente, numa máquina que contém todos os softwares e sistemas operacionais necessários à empresa.

É, assim, o sistema que realiza a conexão entre vários computadores, permitindo acesso a dados e ficheiros presentes nas máquinas.

Geralmente, o servidor físico é disponibilizado num data center mantido e estruturado pela empresa provedora do sistema.

Quando o servidor é utilizado de forma exclusiva por uma empresa, o ambiente é considerado dedicado.

Dessa forma, os recursos contidos no servidor não serão compartilhados com outros sistemas ou utilizadores.

a) Vantagens

A rapidez é uma das principais vantagens dos servidores físicos. O sistema possibilita a transmissão de dados sem qualquer possibilidade de latência na rede.

Além disso, tem uma ótima memória, espaço de armazenamento e energia da CPU.

Servidor virtual

Surge como uma alternativa proveniente das novas tecnologias envolvidas no processo de virtualização.

Temos o sistema de cloud computing, que fornece alta capacidade de processamento, espaço de armazenamento e sistema operacional eficiente.

O processo de funcionamento apresenta semelhanças com o servidor físico. Estão disponíveis muitos recursos para softwares, aplicações, configurações e scripts.

Contudo, tudo isso é disponibilizado através de um ambiente não-físico, que neste caso é construído e representado através de um software.

É importante saber que os servidores virtuais são divididos em geridos e não geridos.

O primeiro permite que a gestão do sistema seja realizada pelo próprio fornecedor.

Ou seja, as atualizações, verificação de sistema, correções, e outros procedimentos necessários para o bom desempenho do servidor, são de responsabilidade da empresa provedora.

Já no tipo não geridos cabe ao utilizador a responsabilidade de manutenção do software.

a) Vantagens

A flexibilidade é uma das maiores vantagens do servidor virtual, afinal, o utilizador pode geri-lo consoante a sua preferência.

A adaptação também pode ser feita, através da instalação e configuração de todos os programas, bancos de dados e outros sistemas que achar necessário.

Outro ponto positivo que merece destaque é a alta capacidade de customização para as organizações.

Assim, todos os recursos oferecidos poderão ser selecionados de acordo com as necessidades que a empresa apresentará no momento da contratação.

Qual deles é o melhor?

Sem dúvida, os servidores físicos ainda são necessários e apresentam muitos benefícios para os utilizadores.

Contudo, com a evolução constante dos sistemas de cloud computing, o virtual tem ganho espaço como uma alternativa de alta performance e mais acessível.

Para determinar o melhor sistema, os gestores da empresa devem avaliar as necessidades e os problemas que desejam solucionar.

Assim, será possível implementar a estrutura com melhor custo vs. benefício, seja ela um servidor virtual ou físico.

WebSite com CRM Gratuito!!

Solicite o seu contacto, sem compromisso.